TEMPESTADE   2 comments

TEMPESTADE

Primeiro veio o Vento-
Velando com voz de soprano-
Veio a gigante e feroz Ventania
E o seu Véu veio veloz
Varrendo e lambendo tudo.

Depois veio o Raio
Trazendo pelo braço
Sua amante Trovoada
E o casal apavorante
Veio roendo, veio cantando
Sua grave cantiga,
banhando tudo
de temor, arrepio e claridade
A incendiar, sem piedade,
A árvore solitária na campina,
E a madeira se pôs também a entoar os seus acordes-
e estalava, e mexia

e Ruia…

No cinza do céu sedento,
Vieram os chales
Voando na fúria da Chuva que chia,
se entranha na terra,
E escorre, como a Vida,
Que nos enche as mãos e atravessa os dedos.

Voando na Tempestade
Fui também;
Fui num vai-vem veemente
A balançar os meus galhos
E me pus a dançar.

Em minha Dança, tive como par a Chuva,
O Vento me conduzia.
Dancei na claridade do Raio,
Dancei ao som do Trovão;
Dancei com os pés sobre a brasa,
E, sem pestanejar,
Beijei a árvore,
Que ardia.

– Depois do nosso baile
A Lua brilhou silenciosa por entre as nuvens…

No Campo Solitário,
Minha respiração ofegante
E um Silêncio revelador
Anunciavam a Calmaria.

 

17/11/10

Anúncios

Posted Novembro 18, 2010 by samanthamedina in Poemas

2 responses to “TEMPESTADE

Subscribe to comments with RSS.

  1. pow Sam! Nessa eu me arrepiei
    muitíssimo extra! Parabéns

  2. Gta tu arrasa sempre né..
    bjinhoss RAPA!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: